DESDE 2015, COMUNIDADE DA PONTA DO LEAL AGUARDAVA A ENTREGA DAS MORADIAS

Notícias 22/02/2019
 
O mandato acompanhou ontem o processo de transferência das famílias da Ponta do Leal, área continental da capital, que por cerca de 40 anos ficaram sob casas de palafitas para novos apartamentos construídos por financiamento do programa habitacional, dos governos petista, Minha Casa Minha Vida.
 
A moradia foi resultado de muita luta da comunidade, que começou quando as moradoras e moradores negaram transferir-se para uma área do Lar Fabiano de Cristo, onde seriam construídas unidades habitacionais na gestão do então prefeito Dário Berger (2005-2012), o que não ocorreu. 
 
A resistência das família ocorreu não só porque discordavam do projeto feito pela Prefeitura, mas também porque grande parte da comunidade subsistia da atividade pesqueira realizada na Baía Norte. Depois de muita luta e negociação, foi proposta a ocupação de parte de um terreno que fazia divisa com a comunidade e pertencia à CASAN. 
 
Na época, Lino, como professor do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFSC, envolveu-se no projeto para a construção dos blocos habitacionais. Posteriormente, a prefeitura assumiu definitivamente a iniciativa. O terreno foi declarado da posse da União e, sob a coordenação do Ministério Público Federal e da Superintendência de Patrimônio da União, chegou-se a um projeto final. Os técnicos da prefeitura mantiveram a base do projeto da UFSC, mas aumentaram o número de apartamentos. A entrega da obra era esperada desde 2015.
 
“Estamos diante de uma nova etapa, a de garantir a permanência de famílias, em torno de 10, que fazem parte da história do lugar, mas não estão se enquadrando nos critérios administrativos da Prefeitura e da Caixa, assim como a gestão condominial dos blocos e mobilização para que as prestações e taxas de condomínio não fiquem acima da renda das famílias transferidas”, elenca Lino alguns dos desafios a serem enfrentados de agora em diante.
 
É uma vitória da comunidade ter conseguido permanecer em um local que agora é de alta valorização imobiliária. A conquista dela fortalece a nossa luta por uma cidade para todas e todos!
 
Assista a seguir mais um vídeo da série Lino Pergunta, em que José Luiz de Oliveira, o Gão, fala sobre os danos que a politicagem causa para os movimentos sociais e a importância de fortalecer a formação crítica das lideranças comunitárias:

Vídeo