LINO PERES QUER ACESSO A DOCUMENTOS PASSADOS SOBRE O TRANSPORTE COLETIVO PARA FOMENTAR A CPI

Notícias 01/03/2019

Foto: Édio Hélio Ramos / CMF

O resultado da CPI feita em 2002 durante a gestão de Ângela Amin para investigar o transporte coletivo; a ata da Audiência Pública que antecedeu a formação do Consórcio Fênix e o contrato contraído com a Prefeitura, em 2013; e o estudo técnico realizado, desde 2014 até 2018, pelo Tribunal de Contas sobre o sistema tarifário foram alguns dos documentos requeridos pelo vereador Profº Lino Peres, durante a reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do transporte coletivo, realizada na manhã do dia 28 de fevereiro de 2019.

Lino Peres (PT), Afrânio Boppré (PSOL), Guilherme Pereira (MDB), Renato Geske (PR) e Claudinei Marques (PRB) reuniam-se, pela primeira vez, desde que a CPI foi instalada, no dia 18 de fevereiro. Por unanimidade, eles aprovaram o relatório preliminar, elaborado por Geske, relator da comissão, que apontou os 10 objetivos principais da investigação sobre as irregularidades no transporte coletivo do município. De agora em diante, esses vereadores têm 90 dias corridos (que podem ser prorrogados por mais 90 dias) para concluir os estudos e encaminhar ao Ministério Público providências a serem tomadas.

O próximo encontro da CPI ficou marcado para o dia 14 de março, quem tiver interesse pode assistir presencialmente à reunião ou acompanhar a transmissão ao vivo, tanto pelo canal da TV Câmara (61.4), quanto pelo site da Casa. Até lá, Lino vai pleitear que as(os) representantes dos movimentos sociais de luta pelo transporte público participem das reuniões da CPI.

RELATÓRIO PRELIMINAR DA CPI