AVE DE RAPINA: REPORTAGEM REVELA QUE GEAN LOUREIRO ORIENTOU EMPRESÁRIOS DENUNCIADOS PELO MPSC SOBRE PROJETO DE LEI

Notícias 22/09/2016

 "Um novo olhar para Florianópolis". Esse é o slogan da campanha do candidato à prefeitura Gena Loureiro (PMDB), mas parece que as suas práticas são tão antigas quanto a de seus parceiros da direita. Matéria apurada pelo Farol Reportagem mostra documentos que a Polícia Federal apreendeu na Operação Ave de Rapina, e empresário acusado de ser o pivô do esquema de pagamento de propina para vereadores diz em email que concedeu 15 outdoors para Gean Loureiro, candidato a prefeito, no Natal de 2013. Apesar da fortuna investida em marketing e propaganda, não há absolutamente nada de novo no reino da direita. Leia a reportagem no link:

http://farolreportagem.com.br/noticia/ave-de-rapina-gean-loureiro-orientou-empresarios-denunciados-pelo-mpsc-sobre-projeto-de-lei.html

AVE DE RAPINA: GEAN LOUREIRO ORIENTOU EMPRESÁRIOS DENUNCIADOS PELO MPSC SOBRE PROJETO DE LEI

Empresário acusado de ser o pivô do esquema de pagamento de propina para vereadores diz em email que concedeu 15 outdoors para candidato a prefeito de Florianópolis no Natal de 2013. Na troca de mensagens apreendida pela PF, outros dois políticos também são citados: o deputado federal Jorginho Mello (PR) e a deputada Dirce Heiderscheidt (PMDB).

No dia 17 de dezembro de 2013, Adriano Fernando Nunes, dono da Visual Mídia, troca mensagens eletrônicas com Flávio Nunes de Siqueira, da Eldorado. Nos emails, segundo o documento apreendido na empresa de Adriano pela Polícia Federal (PF) durante a Operação Ave de Rapina, são informados “quanto cada empresa custeará a propaganda de Natal de cada político”.

A mensagem revela que os empresários custearam outdoors não somente dos representantes do Legislativo da Capital: “No final Adriano informa a Flávio que não incluiu 04 de Jorginho, 15 de Gean e 10 de Dirce. E Flávio conclui dizendo que acha que deve incluir todos, para que fique claro aos demais empresários que eles, Flávio e Adriano, estão gastando mais do que os outros”, registram os agentes da PF na informação nº30/2015, registrada no inquérito criminal no dia 28 de maio de 2015. (Continua)