Mandato de Lino faz homenagem a Cruz e Sousa na quarta-feira

Notícias 17/03/2014
Divulgação
O mandato do vereador Lino Peres fará uma homenagem ao poeta Cruz e Sousa nesta quarta-feira, dia 19, às 18 horas, no Plenarinho da Câmara Municipal de Florianópolis, pela passagem dos 116 anos de sua morte. O evento será marcado por uma performance, reflexão sobre o Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial e o lançamento do livro Cruz e Sousa – Últimos Inéditos, prosa e poesia, de Uelinton Farias Alves, Editoras Nandyala/Zumbi dos Palmares.
O poeta João da Cruz e Sousa, que tem no centro da cidade um Palácio com seu nome, nasceu em Desterro, hoje Florianópolis, em 24 de novembro de 1861, e faleceu no dia 19 de março de 1898. Filho de negros alforriados, criado pelo marechal Guilherme Xavier de Sousa, o ex-“senhor”, e sua esposa, que não puderam ter filhos, Cruz e Sousa estudou em uma escola secundária considerada a melhor da época, mas, com a morte de seus protetores, os estudos foram deixados de lado para darem lugar ao trabalho, marcado por perseguições e discriminações raciais, sendo, inclusive, impedido de assumir o cargo de promotor público na cidade de Laguna.
Lutador, ele combateu o racismo e o preconceito. Foi para o Rio de Janeiro em 1890 e conheceu a poesia simbolista, da qual mais tarde seria considerado o mestre, e colaborava com seus versos publicados em jornais. Cruz e Sousa foi casado com Gavita Gonçalves (1893) e morreu de tuberculose em 19 de março de 1898, aos 36 anos.
 
Livros publicados:
 
Poesia:
"Broquéis" (1893)
"Faróis" (1900)
"Últimos Sonetos" (1905)
"O livro Derradeiro" (1961).
 
Poemas em Prosa:
"Tropos e Fanfarras" (1885) - em conjunto com Virgílio Várzea
"Missal" (1893)
"Evocações" (1898)
"Outras Evocações" (1961)
 
"Dispersos" (1961)