LUTO PELO INCÊNDIO DO MUSEU NACIONAL

Notícias 03/09/2018
Um crime contra a cultura, o patrimônio nacional e da humanidade, a história, o conhecimento. Simbólico este incêndio do Museu Nacional e as perdas irreparáveis que provoca. Como professor de Arquitetura e Urbanismo, ministrei muitas disciplinas que abordavam a importância do patrimônio histórico e artístico e seu papel fundante na formação cultural de um povo. 
 
Um verdadeiro monumento destruído pelas chamas e pela desconsideração de tudo o que ele representava. Um alerta para a urgência de recursos e uma política de preservação dos demais museus do país, hoje com possibilidade de ser ainda mais agravada pelo congelamento de gastos públicos imposto pela Emenda Constitucional 95, aprovada em 2016. A cultura nacional e da humanidade está de luto.
 
Vereador Prof. Lino Peres
 
POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO DO PT
 
Um relatório do Instituto Brasileiro de Museus de 2012 demonstra claramente a política de valorização dos museus pelos governos do PT. De 2001 a 2011, os recursos destinados ao setor passaram de R$ 20 milhões para R$ 216 milhões, aumento de 980% em uma década. Já em maio de 2003, ano que Lula assumiu, foi lançada a Política Nacional de Museus, documento que serviu de base para definir os rumos da preservação e do desenvolvimento do patrimônio museológico brasileiro. 
 
Em 2004, foi criado o Departamento de Museus (Demu), dentro da estrutura do Iphan, em que uma nova forma de enxergar a importância dos museus brasileiros começou a ser desenhada. Isso resultou na criação em 2009 do Instituto Brasileiro de Museus, uma autarquia vinculada ao MinC, e o setor museológico passou a dispor de instrumento dotado de autonomia e maior orçamento para lidar com suas demandas.